segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

renascer...



ser blogueiro é moda...eu quando pela primeira vez te escrevi, foi um acto de amor. a partilha de quem estava a meu lado, ajudou e muito.
houve altos e baixos..houve lágrimas houve sorrisos, mas tu aqui estás e hoje passados quase  3 anos senti uma vontade de te escrever de renascer...
mais uma vez magoada, pelo que se diz...pelo que não se diz..pelo dar incessante..pela omissão..

e no silêncio..das palavras parcas..eu vou renascer..porque tu és a minha viagem..porque tu me compreendes..porque tu conheces os meus sonhos e eu acredito em ti..no silencio..no mutismo..eu vou renascer...



quarta-feira, 12 de agosto de 2015

mão cheia de nada...


nos últimos dias, os acontecimentos surpreenderam e testaram.

o internamento da minha mãe e a sua saúde débil, deixaram marcas e vivemos " no fio da navalha", mas a minha mãe é uma guerreira, ela quis...ela quer...nós queremos... e temos mãe,  a nossa heroína de 93 anos.

a doença da minha mãe é a reflexão para o meu pensamento de hoje:

" mão cheia de nada.." nos últimos meses, o meu acreditar, foi tão longe , que chega a ser ridículo, alguns acontecimentos. mão cheia de nada..gente que acreditei.. palavras ocas..atitudes dúbias e os valores???

é a selva, sem respeito pelos animais menos poderosos.. é o olhar para dentro, quando de dentro não há nada, é o salve-se...

mão cheia de nada..hoje foi o dia, que com o meu próprio pé, pisei este nada,  para que eu possa acreditar que o meu amanhã, seja uma mão cheia...

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

verde...amarelo...vermelho


talvez porque faz hoje 101 anos que existem semáforos eléctricos, - amarelo...vermelho... verde...amarelo

o respeito pela sinalização na nossa vida e o pensamento leva-me a viagem do comboio..
o alvoroço, a troca de palavras, e o lá vem a vida um colega, de um marido, de um pai, de um filho..o sinal é vermelho...não devia passar, mas...

na hora da separação, uns ficam no comboio, outros saem do comboio e o amarelo aparece...fala-se de quem saiu...não devia passar...é amarelo...seria para ter cuidado...mas o respeito pela sinalização e pelas pessoas, quase que passou a vermelho.

e o verde...porque não chega com a mesma cadência!!
no transporte...na nossa vida profissional..na nossa vida pessoal..o verde e a passagem, demoram ...mas um dia irá chegar..o verde...o amarelo...o vermelho..

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

é proibido desistir...continue


a ausência de notícias no meu blog, causa-me sempre um vazio..Porque quero.., porque não tenho tempo...porque tu viagens do pensamento,  és a minha viagem e os pensamentos, porque é proibido desistir...vou continuar.

no ultimo post, havia alma, havia alegria, havia acreditar. Passaram 3 meses, e o que  aconteceu?   o carácter e a dignidade de "gentinha" ficou arredado, engolido pelo mar, que ficou indisposto de gente que não é gente..

a mentira...a falsidade...o interesse mórbido no que lhes dá mais prazer o seu EU. O que a vida nos dá de gentinha é tão mau, que quando temos ao nosso lado GENTE,, que nos olha...que nos liga...que nos abraça...que compreende o estado de alma, entendemos que é proibido desistir...continue

o meu acreditar está distante, o meu mar não devolveu...o tempo exige é proibido desistir..


quarta-feira, 6 de maio de 2015

a primavera e a cor...

a cor é primavera...a cor é luz...a cor é maio, a cor...
o meu último post representa  a perda de alguém, que me marcou muito e que me deu lição de vida.

passaram-se 2 meses, a primavera chegou, o estado de alma melhorou e chegou maio...o meu mês e o meu sonho continua e porque o sonho nos comanda, vou continuar a acreditar...

observei em silêncio, sofri em silêncio, pouco sorri, mas nunca deixei de crer...o meu amanhã está aqui. o meu amanhã és tu e talvez tu, mas és ...

o cinzento, deixou de ser a cor... surgiu maio e  o aniversário da minha mãe, a mãe linda com 93 anos,, que apesar de não ter cor, teve ao seu lado uma família de cor

o meu arco íris...vermelho...laranja...amarelo...verde...anil...violeta..a cor. obrigada abril por me dares o maio

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

o acontecimento...fevereiro tão longo...tao curto

era noite, o frio batia na cara..aconcheguei-me e olhei para esta imagem e fiquei presa..à luz...ao céu nublado, a historia que tinha ficado atrás de mim e era febereiro, que mês ...
reflecti, sonhei, acordei e desejei , preciso que saias...fazes favor, eu quero acreditar, que alem do que aconteceu, a luz estava ali e o meu sonho ainda não acabou.
 A estrelinha que tinha ficado nas minhas costas, não me conheceu, mas viu-me e ficou a olhar. eu quero...e não esqueças..da fé me acompanha, do amor que tenho meu fevereiro para te dar. Fazes favor de me fazer feliz, eu acredito, olha por mim meu fevereiro...és pequeno, mas és grande. 
és tão longo e és tão curto...abraça-me eu preciso de ti meu fevereiro...

sábado, 22 de novembro de 2014

um olá..um olhar...um olá...


o dia 21 de novembro, é o dia do olá...é o dia... que é noite em que devemos passar por alguém e sorrindo dizer um ola...

tenho na minha vida, um sorriso largo, a minha vida é feita de muitos olás, de muitos sorrisos, e o meu olá está muito próximo de ti...de ti...e também de ti...

o meu pensamento vagueou pela carruagem e como é bom estar sozinha! quando observo...a conversa de 2 senhoras ao meu lado, tão críticas.., tão certinhas..elevavam o status quo da sua vida, o menino jovem de 15 anos...e claro até a bimby  serviu de tema da conversa...

de olhos semi cerrados, eu pensava no meu olá, na nuvem que se esfumaça..na mente oca de gente que de gente não sabe que ser gente é saber escutar...é olhar para nós..é saber criticar...é sorrir..é um olá...

mas o fim de dia, aconteceu...e houve um olá, um olhar, entre conversas de raízes alentejanas, de gente, de genes, de emoção e acabou no chá.. as senhoras tinham-se esfumado na minha mente... que dom de comunicar..um olá...um olhar...um olá...

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

poesia e prosa...deambulei

deambulei entre poesia e prosa..mitiguei os últimos dias...e encantei e desencantei...

tudo na vida é tão veloz...pelo que fazemos aqui, tem de ter um forte sentido de responsabilidade...

todos nós quando nascemos, choramos, quando os outros sorriem...e o que devemos fazer da vida é respeitar...é amar...é crescer...para quando partirmos,muitos chorem e nós sorrimos...

deambulei, sobre um acontecimento tão recente que ainda dói...do nada..por nada..ficou o silêncio...

o silêncio é bom conselheiro... mas é esguio, esconde-se, refugia-se e como tal tem medo...e medo é medo...

deambulei entre poemas e mitiguei...eu posso ter medo...mas eu falo ..eu vou..

obrigada minha ribeira, por me encaminhares...e pelo teu manto...



segunda-feira, 10 de novembro de 2014

junto as margens...para que possam continuar a ser margens...

                                     foto tirada de uma exposição por duarte geraldes- Lisboa


a margem...é atractiva...é distante..é .próxima... é diferença...

para que possam continuar a ser margens, é fundamental respeitar a margem.

A margem somos nós, são todos aqueles que passam pelo percurso da nossa vida..que não souberam perceber que a distancia e a proximidade, pode ser a diferença...

quando na minha viagem , no passado domingo, encontrei mais um caso atípico, um casal , em que que ele mal se sustinha em pé, de tão embriagado que estava e ela doce, sempre doce a amenizar e a puxá-lo da margem...para a outra margem..

olhei para este casal, numa carruagem vazia e a minha reflexão foi para o atravessar...

junto as margens, ...e para que possam continuar a ser margens, eu vou continuar...

sábado, 8 de novembro de 2014

os pensamentos de uma noite, as ideias dispersas, as questões, tudo é elevado no sonho...

o sonho tem destas coisas, o ser muito bom e o ser menos bom, mas é sonho...e sonho é acreditar sempre..

na minha viagem, um homem invisual, andava com um passo acelerado no metro. Abordei-o e de imediato solicitou ajuda. Estava feliz ia para uma reunião da ACAPO- Associação dos cegos e amblíopes de Portugal.

o sonho de um homem que sorria ao falar comigo, que falava da sua vida e no apoio que dá a Acapo, que estuda, está a tirar um curso superior e que em paralelo é massagista..Um homem, que sorria e provavelmente o homem mais feliz, que encontrei. nos últimos tempos.Um homem que me ajudou a atravessar a estrada..

confiança...determinação...felicidade. Não sei o seu nome, e pouco importa. Ele ajudou a colmatar um sonho menos bom...

o sorriso grande de um homem... uma mente grande...um sonho...sem visão...

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

regresso...


Minha viagem...meu pensamento...

há quanto tempo não falamos, aliás...tu sabes que quase todos os dias falamos...

a ribeira, cujo caudal está baixo e que foi o inicio do meu pensamento. Passo por ela e lá estão os cavalos ao largo a aproveitar os últimos dias de um pasto seco..Os pássaros vão sobrevoando, a primavera acabou, mas eles aproveitam ...ainda um tempo ameno..

há pouco tempo, andavam uma rãs, ainda tentei a fotografia, mas...não foi possível. Mas há um novo decor na nossa ribeira, uns folhetos de uma igreja...um escaparate com folhetos de uma igreja, não sei qual, e uns senhores elegantemente vestidos, (  guarda de honra!!!), não te rias... é que passo as 07h45

fazias-me falta minha viagem...meu pensamento..hoje mais uma vez, despertei de mais um pedaço de sonho, de um acreditar, de uma viagem efémera...

já sabes que sou uma mulher de fé e o meu acreditar é constante..quero acreditar no meu regresso...

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

a dor de perder a rosa...


                                                                  
Rosa




Minha  querida, nao queria acabar o meu dia sem falar consigo...Foi um dia triste , muito triste, a nossa amiga Isabel, (tanto conversamos!) deu-me a notícia da partida da Rosa.

Rosa, conheço o seu sorriso, mesmo quando se zangava comigo. Ainda há pouco comentei no facebook, relembro de uma das vezes no hospital de Sta Cruz, em que falamos do pijama, rimos imenso.

A tranquilidade da Rosa, o sorriso da Rosa, o amor escondido, mas sempre presente da Rosa, deixa em mim uma lágrima de dor na partida. Mas...eu sei que nao quer isto e... Rosa, a minha homenagem à  artesã exigente, é uma flor tirada por mim, no Museu de Azulejo.

Um dia, quando nos encontrarmos, vamos rir das minhas "parvoeiras"

Um beijo e até um dia

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

as casas de pedra ti Galinha

Turismo rural "Ti Galinha" -

Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros

Um por de Sol...sentada na pérgola, um canteiro com o meu nome. uma flor que se torna fruta. A sombra que existe...a realidade de  uma casa feita de pedra, com um conforto e uma decoração excelente, os jardins envolventes... Porto de Mós- Serro Ventoso

o canto da ausencia...

                         Foto: Halloween!!!!

Ausência, é sempre ausência, que na maioria tem uma causa, quase sempre pela negativa...

Novas definiçoes dos blogs, associada a alguma preguiça, provocou este intervalo. Vamos, como diz a (Isabel) colocar para canto...

Irei postar o que a minha mente guardou... e .... Mas ontem foi o tal dia das bruxas!!! , para mim foi o teu dia meu filho.

Um simples gesto, uma abobora, que a mana fez o favor de animar, uma menina Matilde, que como diz a sua mae, esta com a "strica" toda!!! tudo muito simples, uns frangos assados e...muita alegria...

Sempre e sempre Obrigado meus Filhos e minha Mae e para ti, meu filho PARABENS.

E porque ha alegria e as bruxinhas sao felizes...Matilde, tu es UNICA

Ausencia....vai para canto....

terça-feira, 22 de maio de 2012

O Sol...

O silêncio é a arma forte da defesa da minha vida...
Os meus silêncios, são gratificantes, são a alma da minha vida. Trabalho no meio do barulho e ainda hoje , consegui criar o meu silêncio...

A porta estava aberta, o passaporte na mão e as personagens andavam de lado em lado, críticas... cinzentas...e o Sol?. Havia Sol, peguei nele e ficou a meu lado. Conduzimos até ao Saldanha,. Paramos, sentamo-nos na esplanada e o Sol continuava.

Era a Tentação de correr atras do Sol, que me quis receber.

O chá estava óptimo, o entardecer chegava, as personagens eram outras, a tranquilidade chegava. O meu Sol, estava ao meu lado...

 AH! QUEREM uma luz melhor que a do Sol!

Querem prados mais verdes do que estes!
Querem flores mais belas do que estas
que vejo!
A mim este Sol, estes prados, estas flores contentam-me.
Mas, se acaso me descontentam,
O que quero é um sol mais sol
que o Sol,
O que quero é prados mais prados
que estes prados,
O que quero é flores mais estas flores
que estas flores -
Tudo mais ideal do que é do mesmo modo e da mesma maneira!

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Identidade...

IDENTIDADE

Preciso ser um outro
para ser eu mesmo

Sou grão de rocha
Sou o vento que a desgasta

Sou pólen sem insecto

Sou areia sustentando
o sexo das árvores

Existo onde me desconheço
aguardando pelo meu passado
ansiando a esperança do futuro

No mundo que combato morro
no mundo por que luto nasço

Mia Couto


segunda-feira, 9 de abril de 2012

bem me quer...




O sol brilha com um cheirinho a Veräo, as chuvas que tem caído nos últimos dias, dão aos campos um brilho, uma imagem difícil de comparar.


Do meu meio de transporte, olhava o campo verde, as árvores quase com flor, cujos ramos já estão cheios de verduras e sorri...

Pouca coisa é comparável á Primavera, o desabrochar da flor, o crescer da vida...

A Primavera da minha vida, é bem me quer...é a Matilde, que adora folhear um malmequer, é a minha família, é a serenidade, é o dia, que se alonga antes da noite, é o tépido do dia...é Primavera.


A Paz do meu dia, é feita de tranquilidade, nesta tranquilidade há muitas questões que me elevam...e que bem que sabe... a minha vida ser preenchida de observações...

A felicidade da vida é comparável á Primavera...o essencial e quase tudo da vida...

As flores, as árvores, os campos transformaram-se, em vida, dão cor a um estado de paz, mas sempre questionável...


Bem me quer...nunca mal me quer...



domingo, 1 de abril de 2012

Matilde...a tua alegria









Os bens me queres da nossa vida...
Após o aniversário da minha neta, quis postar sobre o primeiro ano da Matilde, a menina doce de olhos e pestanas grandes, com um sorriso constante...
A Matilde, é filha desejada e amada, é doce de criança, é mão cheia de alegria... A Matilde, de ar atrevido e sempre sorridente, é a LUZ
Ter a Matilde nas nossas vidas, é possuir um Mundo de magia, onde criamos o fascínio do encanto

Falar de ti, é muito fácil, é uma relação de amor intensa. Os teus mimos, as tuas traquinices, o teu sorriso, tudo em ti, é muito amor..


Para ti meu amor :


Pedra Filosofal

António Gedeão



eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.





quarta-feira, 21 de março de 2012

a minha ribeira...e uma história



Não sou muito ligada a dias, e se no passado festejava alguns, hoje deixei de festejar um dia em especial. Festejo todos os dias o meu dia...



O meu dia, mais uma vez foi feito de tudo, entristeci-me, cansei-me e sózinha revivi, nunca estive só, procurei a minha inspiração, a minha ribeira...os meus cavalos...a minha luz...


Em palavras subo ao Teu silêncio.
Deixo-me ficar ouvindo o cantochão.
Suspenso evolo-me por dentro
e por dentro há mais alma e solidão

Das vozes que misturam luz e sombra
sou partilha encantada sem saber
onde o corpo é penumbra e é lamento
e raiz deslumbrada do meu ser

Dorme sobre o tempo o tempo ausente
nas pedras soerguidas doutra fome
que nos mata nos resquícios do poente
e nas horas onde o corpo se consome

Carlos Carranca
"com o cachimbo de meu pai"





quinta-feira, 15 de março de 2012

E esta luz que me encaminha, quero sempre a meu lado...

Semana, após semana, nasce a luz essencial á vida...

Num país conturbado, onde a palavra de ordem é a crítica, as notícias, tornaram-se agressivas, de tal forma, que arranjei o antídoto para näo me incomodar...deixei de ver tv e jornais só o essencial.

A minha luz...o meu sol...estäo presentes em pequenos gestos, que acontecem no meu dia a dia.

Cresci com ensinamentos de um grande pai, um homem que no seu tempo, tinha uma forma de estar e pensar única...
Um pai, que nos dava a liberdade, falamos há 42 anos e este pai, cultivava em nós, a responsabilidade, o cinema e as saídas eram sempre consentidas, Ele estava sempre presente em nos levar e ir buscar.

" Quem näo se guarda por si, näo é bem guardado" Eu confio...

Eu confio...os valores nasceram comigo, o partilhar é a minha conquista...Os resultados estäo todos os dias na minha vida.

É a minha luz... é o meu sol... é a minha lua... é a minha terra...

Nos últimos dias, recebi grandes afectos e provas de grande amizade, cumplicidade. Emociono-me com coisas simples, como um email de um amigo, emociono-me com um gesto, emociono-me com um toque.
Sou pele e gosto de ser pele...O meu dia a dia é o meu futuro, a minha vida é luz...

E esta luz que me encaminha, quero sempre a meu lado...










quarta-feira, 7 de março de 2012

Fly me to the moon - Eva Cassidy

O meu tempo nunca é efémero...




Nas últimas semanas, os acontecimentos, tem dado lugar a uma reflexäo constante...

Sou questionável, nas minhas longas caminhadas, estou só e nunca estou só as questöes acompanham-me.

Os habilidosos da sociedade, a palavra fácil, tudo acontece, como sempre aconteceu, mas...hoje, o mundo e a economia propícia a falta de atitude...

Saber dizer näo, tornou-se mais fácil...o crescimento interior, os meus silêncios, deram-me a capacidade de gerir o meu näo...e o meu sim...

Nesta caminhada, devo uma quota parte a uma pessoa, com quem falo regularmente,que me questiona e que me puxa para a isençao. Näo vou falar dela, mas ela sabe que eu lhe agradeço o seu apoio.

O que for nosso...nosso será...

O tempo, o nosso aliado, nem sempre nos acompanha, por vezes rodeamo-nos de gente e algumas pessoas, para fugirmos as decisöes do nosso tempo.

O meu tempo nunca é efémero. Somos nós que damos figura ao "efémero", independentemente da sua lábil, ou inconsistente duraçäo.

Se a nossa vida é, por assim dizer, uma vida inscrita no tempo de Deus, vivida sob o olhar de Deus ou assim imaginada, nada impede o chamado tempo efémero-e todo o é-de ser o nosso tempo eterno.

O meu tempo nunca é efémero...

domingo, 4 de março de 2012

sintra...o meu palácio...


















Ontem eram 09h e estava na Vila de Sintra, estava frio, e dado que era muito cedo, havia poucas pessoas.

Foi mais um dia cheio de muita alegria...A Matilde ouviu mais uma vez a história da mäe " foi aqui que estive pela primeira vez com o pai...)


A Matilde é a razäo de todas as histórias...Quando há 1 ano a esta parte, acreditava em histórias...estava longe de imaginar o desencanto e o meu encanto.


Hoje, a minha vida é cheia de tudo. Desde um jantar no Palácio a um passeio na minha terra de origem. dias menos bons, mas dias...de grande cumplicidade, de muito amor.


Amo Sintra, a minha terra, o meu concelho, uma história...


E na história, com Reis e Rainhas, a princesa Matilde, com o seu sorriso, brilhou na manhä, e o Sol entrou.


Sintra, foi aí...que nasci









quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

a luz que nos projecta...




Após uma noite de sono tranquila...como digo na brincadeira, preciso de despertax e näo de xanax...

Cheguei á rua ás 07h00 e o dia aclarado, tinha já um brilho muito especial. Conduzi lentamente até Lisboa. O sol a despontar, projectava nos prédios uma ou outra luz vermelha, o dia com a sua luminosidade abraçava-me.

O programa de rádio, animava o meu estado de paz e harmonia, a luz que me acompanhou, recriou mais uma dia de grande felicidade...

As minhas reflexöes, incidiam nos meus ultimos dias...na intriga, no mal dizer. O carnaval da vida das pessoas...

O mote das notícias, é-nos negativo, o País em conflito, e as pessoas...

Vamos criar energias, vamos aproveitar a luz do dia. Vamos reflectir e baixar os braços no escárnio e mal dizer...

Vamos acreditar e agradecer, a familia...o trabalho...a saúde ...a vida...

O meu dia será sempre de luz...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

a ausência do mar...

A ausência, seja ela qual for, é dolorosa..

Num mar de turbilhão, onde as ondas no seu vaivém, choram e riem-se de histórias vividas...

O meu mar é azul, mas também tem outra cor, tem sempre luz .No meu mar, existe sempre o abraço. No meu mar há uma narrativa...há personagens...

No meu mar existe fascínio, o palco do teatro do meu mar, os actores contracenam com o mar, com o sol, e ás vezes com a lua...

O meu mar tem a sua história em vários locais, a Arrábida, Sesimbra, S. Martinho do Porto, S.Pedro de Muel, Lizandro, Ericeira, Praia Grande, Praia das Maçãs, S Pedro do Estoril.

A ausência do meu mar, é cinzenta, mas...eu acredito como sempre. O meu mar vai acontecer, eu estarei lá, á tua espera, de azul, com brilho e com sorriso...

Até já meu mar...










sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

ser...especial...

Ser especial...

O futebol, o crime e mais algumas notícias, cuja importância é sempre relativa, tem prendido as atençöes dos Mass Media...Qual carrosel, que gira de um lado para outro, entre gritos e risos...

Uns dias, em que nos pensamentos das minhas viagens, eu vejo...eu ouço...eu lamento...

Quem acompanha-me, conhece-me o suficiente, para saber que sou autêntica, que pelos amigos, ouço...fico...

Ser especial, säo eles...säo elas...és tu...

Tu és especial, porque és realidade, deixei de careditar em imaginários...eles, elas, tu, deram muitos presentes de vida, a ternura, a atençäo, o mimo, o riso, o amor.

Na forma como sinto a vida, como acredito na vida, como enfrento a vida, eu tenho que ter na minha existência, Eles...Elas...Tu...

Urgentemente

É urgente o amor
É urgente um barco no mar

É urgente destruir certas palavras,
ódio,solidäo e crueldade,
alguns lamentos, muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhäs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer,
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade, in " Até Amanhä"

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

um dia...com dia...


Um dia...com dia...

Belém uma zona por excelência, onde a história nos abraça, envolvendo os monumentos e o rio.

Um almoço na esplanada, com vista para os jardins...É um dia com Sol, é o dia...

A mäo aquece, o rio envolve, a gaivota espreita e o voar acontece. Abraçar é a razäo do dia... abraçar.

A magia de um abraço é uma lua cheia, que nos projecta com a sua luminosidade para um dia com luz.

A mäo aquece, cálida, ávida, feliz e transporta sorrisos, que o
dia nos dá...Náo é mais um dia...é o dia...


É um dos meus dias, do meu renovar, é a arvore com as suas raizes que se estende e se expande

É um dos meus dias, é uma das minhas viagens, säo os meus pensamentos...

A mäo continua cálida, tudo acontece nos nossos dias em que um dia...é dia...

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

a cada dia quero renovar...




"A cada dia quero me renovar. E me renovarei.Quando vejo milagres, quando vejo coisas boas, me dá uma vontade de me renovar, vontade de avançar, e de evoluir. Mas realmente é difícil, é quase incompatível a nosso sistema.A verdade é que ...renovar não é fácil, verdadeiramente é difícil.Queria mudar tudo em um minuto, queria mudar agora, queria renovar-me nesse minuto, nesse segundo, mas não é assim, as coisas não são do meu jeito.Porque se fossem o mundo não estaria assim."[Gabriel Lima]


Renovar näo é fácil...no Mundo onde as palavras, tem um sentido relativo...mudar é acto de coragem...

Mas... coragem faz parte do meu dicionário, lamuriar näo existe...eu acredito e sempre.

A forma como dou, o meu sentido de pele, o estar dentro da vida e nunca ao lado da vida, faz-me de mim, vulnerável as palavras e aos gestos.

É obvio, que este estremecer, dói...Mas é preciso renovar...Saber distinguir...

O fim do dia, o entardecer, de que tanto gosto, trouxe a luz. Um café na Confeitaria Nacional com a Guertas, é sempre muito bom, a Zézinha fez a sua avaliaçäo e regenera e ri e fala de história e de livros e ri...

Já a caminho da casa, a minha Xia, telefona-me, dizendo que sentiu o meu perfume...

Os nossos comboios eram diferentes, ela estava á minha frente, saíu numa estaçäo e apanhou o meu comboio, abraçamo-nos e Xia tu sabes, como eu sei o que é "química", o que é amor, o que é renovar...O perfume existe é "Angel"...

Tu és a flor no meio das flores, tu és uma diferença...

A cada dia quero me renovar...










domingo, 5 de fevereiro de 2012

o dia do brilho...

Quando fui ao meu arquivo ( escasso) retirar esta foto e postar no blog. A cor atraíu-me e é a cor que me encaminha.

Tantos dias sem escrever e a vontade crescia com os dias passados. Uma semana turbulenta, mas com raios de brilho, em que agarro o meu crer...

As saudades estäo ao rubro...as decisöes acontecem, tal como a água que corre na minha ribeira, por vezes turva, outras vezes límpida...

Os contactos diários com as Marias, fazem parte de uma rotina que muito prezo. Sem tempo, mas sempre com tempo, elas aí estäo e fazem parte integrante do meu eu...säo lindas...a Martins, a Sá, a Eduarda, a Isabel, a Guertas...

Renovar sempre...acreditar... amigas säo escolhidas e as minhas säo as únicas...
Cor...brilho..., tal como o local onde nasci, Sintra, a imagem que está representada

O meu dia...os dias do brilho





quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

uma viagem de luz...




Lisboa, fim de dia...Lisboa e a sua história...
Um olhar... mais uma vez vim a pé da Estefânia aos Restauradores.
Atravessei de um lado para outro, e olhei e encantei-me...
Natural de Sintra, a minha terra que adoro, Lisboa tem hoje um encanto especial na existência da minha vida.
Olho em seu redor e vagueando por opção e prazer, encontro canteiros arranjados, bancos de jardins sem ser partidos, esplanadas a tocar musica brasileira.




Parei na Esplanada e desejei ouvir música portuguesa, talvez um fado leve(gosto pouco de fado), mas...estou na Av. liberdade...
Parei no Elevador da Glória e...


Em toda a minha viagem, pensei na menina linda, de olhos brilhantes, de lágrimas sentidas...
Menina linda...já falamos...vamos passear...lágrimas não...Tu és, qual flor a menina linda que merece ser feliz...


Ao ver hoje o programa da Sic " O meu pequeno mundo", as lágrimas correram pelo rosto, pela dor de sofrimento, de pessoas em que o acreditar era apenas um...

O acreditar num amanhã...


Temos que acreditar...tal como o encanto desta cidade, quase vazia, mas com luzes e flores.










quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

o meu olhar...





Uns dias cheios de tudo. Uma paragem na Gare do Oriente, um olhar e só um olhar provocou o choro de alguém que...

Era aquela hora, o abraço chegou, a palavra, e amiga é necessário Renovar...

Os seus olhos estão cheios de dor, mas vai acreditar...eu sei.


"Destrói os olhos que tiverem visto, cria outros, para as visões novas"


Novas visões, olhos que se encontram e se afastam. Olhos compremetedores, olhos falsos, olhos que nos olham e cujo olhar perdemos...


Um olhar...o desespero...eu não quero aquele olhar... Eu vou olhar...

"Renova-te.
Renasce em ti mesmo.
Multiplica os teus olhos, para verem mais.
Multiplica-se os teus braços para semeares tudo.
Destrói os olhos que tiverem visto.
Cria outros, para as visões novas.
Destrói os braços que tiverem semeado,
Para se esquecerem de colher.
Sê sempre o mesmo.
Sempre outro. Mas sempre alto.
Sempre longe.
E dentro de tudo."




Cecilia Meireles

Sempre longe...e dentro de tudo...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O post sobre a Alegria, ajudou a empurrar-me da "inércia" que estava a querer alojar...
Novo dia, com o propósito de que, tenho de continuar com a mudança...


Eram 06h35, o comboio estava quase vazio, no entanto, dois dos grupos que costumavam ser companheiros de viagem, estavam na maior euforia...

O futebol para uns e o acordo de trabalho para outras, eram os temas entre outros da "gritaria" da madrugada...

Entendi que não queria este pesadelo..., na estação imediata saí do comboio e entrei na porta imediata...

O sossego reinava, não havia vozes, as pessoas quase todas elas dormitavam...

Os meus pensamentos chocavam, com o silêncio...que paz...

Para traz ficou a confusão, o tom de voz agudo, de quem diz mal e diz mal...as conversas, onde ouço ( porque o som é estridente)...

Foi a mudança...não sei para onde irei...mas onde o grupo estiver, eu não estarei...

Quis descer a Av. Liberdade, começou a anoitecer, havia pouco transito, algumas luzes, sentei-me no chão, tirei fotos e...a liberdade de descer a avenida...

Afastar o negativo e o pessimismo, a mudança...é sempre possível...


É só mudar de carruagem...












quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

a travessia...

Ao longo da minha vida, as vivências foram muitas. A minha filhota, comentava sobre a existência de um neto, para contar as passagens de vida...

Chegou a Matilde ás nossas vidas . A Matilde é o Sol e a Lua Cheia, é a alegria de uma bébé bem disposta, de olhos lindos e expressivos "sempre preparados para a fotografia"

A Matilde é a menina feliz, de uma família feliz...

São as várias travessias da nossa vida, a transparência, a exigência , a partilha e um amor sempre presente.

Os passos dados na travessia... nem sempre são seguros, mas são sempre desejados.

Esse desejo sempre me acompanhou e o meu futuro está aí, é o meu presente e o meu amanhâ.

E as conquistas são tantas, a travessia...esteve sempre com luz...com cor...foi de dia...foi de noite...
mas sempre feliz...


Á travessia da minha vida... a tudo que me foi dado...eu quero continuar a lutar e a caminhar...

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

os pensamentos de uma viagem




Nas minhas viagens de pensamento, relembrei a margem Sul do Tejo.


Trabalhei no Montijo, cidade que gosto em particular, como assessora da Edilidade.


Há na minha vida, uma alma e emoção, que sempre coloquei, nas tarefas que desempenhei e também por isso amo.


Foi neste distrito que possuo as mais gratas recordações...Foi lá que conheci alguém muito especial , cuja história de vida tem 15 anos e há ainda tanto para contar...


Fui neste distrito que conheci pessoas, que marcaram a minha vida e me fizeram crescer na mulher que sou hoje. A sua morte jamais esquecerei. Obrigada a ti, que sabes quem eu sou...


Voltei a Setúbal, por 2 vezes em 15 dias. A Maya leva para o seu País, uma imagem de uma cidade cheia de Sol, num dia de Inverno, banhado pelo Sado...e...



Nascemos para amar; a Humanidade
Vai, tarde ou cedo, aos laços da ternura.
Tu és doce atractivo, ó Formosura,
Que encanta, que seduz, que persuade

Enleia-se por gosto a liberdade;
E depois que a paixão na alma se apura,
Alguns então lhe chamam desventura,
Chamam-lhe alguns então felicidade.


Excertos de Bocage, in 'Sonetos'



Pensamentos...de uma viagem...